domingo, 2 de janeiro de 2011

O ultimo dia de dezembro é sempre igual ao primeiro de janeiro

Pronto pra sair pro reveillon, faltava apenas o calçado, olhei carinhosamente pro meu all star vermelho e disse: é você! Quando vou calçando percebo que ele ainda está sujo de areia da praia do show do Pouca Vogal (17/12)... bah, vai assim mesmo... Bom presságio pro ano que se inicia já que só tive alegrias nesse show, além de conhecer pessoas maravilhosas. Esses pequenos grãos de areia que nem chegaram a incomodar trariam junto a simbologia hawaiiana do all star engrenado tão somente boa energia.

Pensando nesse pequeno fato, sozinho em casa esperando meu pai para sair, fiquei pensando na força do silêncio que move milhares de pessoas fãs, como eu, do trabalho e até da pessoa do Humberto Gessinger. Nesta noite de 31/12/10 creio que iniciei o que pode se tornar um ritual pra todo reveillon daqui pra frente: sozinho, all star engrenado, meu violão e "quase uma oração" (maltz): a canção Em Paz (gessinger). Lembrei no momento em que cantava "em paz" do trecho da canção supracitada de Carlos Maltz: "muito longe daqui, alguém está cantando, em silêncio e só, quase uma oração". Era eu neste momento, em silêncio (coisa rara, pois confesso que acostumei ao barulho da televisão em casa) e só, atentando para os pequenos rituais de oração que nós engenheiros hawaiianos temos, seja um tênis, uma frase no msn, uma comunidade no orkut, um cd no armário, uma idéia na cabeça, ter feito um twitter só pra seguir o @1bertoGessinger, um adesivo no vilolão, etc, etc, etc...

Tinha outras coisas pra falar aqui, da volta pra casa, do jantar em família e da ávore de natal feita de latas de leite ninho do meu sobrinho Gabriel, que ontem completava um ano, política... mas acabei envolvido por este ritual que pratiquei pela primeira vez até agora, faltando 52 minutos pro segundo dia do ano, e por isso mesmo encerro por aqui minhas palavras. Meu espaço ou retrato que hoje quero compartilhar não é físico, mas espiritual. Tenho certeza de que estes 31/12 - 01/01 foram singulares para mim, dias até diferentes, quem sabe. Mas tão somente pra professar minha fé, não posso negar que o último dia de dezembro é sempre igual ao primeiro de janeiro!

feliz ano novo (de novo)

andré ramos

Um comentário: