quinta-feira, 19 de abril de 2012

Todo dia ele faz tudo sempre igual - 1 (ou Aventuras de uma quinta-feira qualquer)

FINALMENTE! 

Não que eu já tivesse esse título guardado esperando o momento certo, na verdade não sabia nem se o momento viria, mas finalmente chegou! 

Acho legal essas coisas, a primeira postagem que leva o nome do blog, assim como o Tchau Radar, disco muito disputado hoje pelos fãs dos Engenheiros (virou raridade), que depois de tantos a ideia do disco virou "Tchau Radar - A canção". 

Mas chega de Engenheiros, Humberto que me perdoe, mas hoje é dia de Chico!

O nome do blog surgiu com o objetivo de mostrar que mesmo todo dia as pessoas estejam presas a mesma rotina, e dentro desta rotina as pessoas fazem coisas diferentes, passam por situações dignas de registro. Mesmo na repetição existe a particularidade. O "todo dia ele faz tudo sempre igual" recebe com muita satisfação hoje uma postagem homônima em homenagem ao criador da frase original (todo dia 'ela' faz tudo sempre igual), Chico Buarque, para compartilhar com vocês, misteriosos leitores, as particularidades de um cotidiano, de um caminho composto por "chão de esmeraldas" que me levará ao show do Chico aqui em Fortaleza dia 25 de maio de 2012! Meu PRIMEIRO show do CHICO!

Ainda me lembro quando a chama da esperança foi acessa, foi na primeira semana de 2011 quando eu e Mirelle estávamos na livraria Saraiva e já depois de comprar o que tínhamos ido comprar (nem lembro mais o que era) vimos o Chico estampado na capa da revista Alfa e que haviam se cumprido as previsões de "mãe Mirelle" que em 2010 afirmou categoricamente que no ano seguinte teriamos cd novo e turnê do Chico. Desde então rolou a pré-venda do CD na internet, dia a dia com vídeos novos na www, foi-se um mês, o primeiro mês de espera de tantos outros que viriam. Depois pra aliviar os 3 dias que o cd demorou pra chegar, teve uma transmissão ao vivo pela internet, Chico e João Bosco tocaram "Sinhá", falaram da parceria nessa música e do disco novo. Pausa dramática! Demorou um tanto para anunciarem a turnê, mas desde que anunciaram, ainda em setembro de 2011 (salvo engano) eu passei a ser um constante aperreio pelo show do Chico no twitter de produtoras daqui. Em janeiro/fevereiro de 2012 finalmente a confirmação de que iriamos ter Chico em Fortaleza, de fevereiro a abril, mais aperreio todo dia nas redes sociais da Arte Produções até divulgarem as datas do show e valores dos ingressos. Apesar do que possa parecer toda essa ansiedade era menos por ser um show do Chico e mais por questão de organização, desde já pra saber quanto iria gastar, me programar pra chegar cedo, conseguir um bom lugar.

Então, por fim chega o "quase grande dia", o dia de hoje, 19 de abril de 2012, dia da venda dos ingressos. Começou a saga. A ideia era sair da casa da Mirelle que era mais perto do Siara Hall as seis da manhã, mas achamos por bem "chegar" as seis na bilheteria. No caminho pra casa dela na noite do dia 18 ao passar em frente ao local, brincadeiras como "já pensou se tem gente acampado ai, o que a gente ia fazer" eram inevitáveis, por sorte na hora em que passamos não tinha ninguém (depois chegou, mas isso conto já já). Combinamos de acordar as 5h, pus meu celular pra 5:10, pois esperava que Mirelle me acordasse com ela faz quando durmo na casa dela. Acontece que eu acordei primeiro, despertador tocou e nada dela descer até onde eu estava. Me arrumei, tomei café da manhã sozinho e comecei a arrumar as coisas pra fila (água, lanche...), nessa hora me senti um clandestino, hehe, imaginei a situação: os pais dela chegando de repente e me vendo mexendo em tudo, arrumando umas sacolas e pensando "ele brigou com Mirelle e agora vai embora levando tudo da casa" (rsrs, que besteira! mas precisava ser contada). Enfim ela levantou, arrumou-se rápido, pegou seu lanche pra comer no caminho e seguimos, chegamos na hora marcada, já tinham 3 pessoas na fila quando chegamos: uma mulher que chegara 5:20, uma mulher que foi paga pra passar a noite lá, mas por medo de ficar só no Siará Hall a noite passou a noite num banco em frente, onde tinha um guardinha pra fazer companhia a ela (perdeu o lugar), por fim um senhor que tinha chegado as 5:40h.

Café da manhã no Siará Hall
Escutei muita história na fila, pessoas que já foram a três shows dessa turnê em outros Estados e que aqui em Fortaleza iam para os dois dias e só pensava duas coisas: 1 - ah, então deixa um principiante ficar na frente pra pegar um bom lugar, vocês já foram. 2 - Oh Deus, queria metade desse poder aquisitivo pra poder ir num show do Chico com a consciência financeira mais leve! Histórias de pessoas que já encontraram com ele, tinham tantas fotos com ele como eu tenho com o Humberto, ou até mais. Senti muuuita inveja branca nessa hora, mas pelo menos deu pra ver que por mais que deva ser mais difícil do que com todos os outros artistas, uma foto com o Chico não era tão impossível (só um pouco). No final das contas foi legal ouvir as conversas e depois de certo tempo, bater um papo com as pessoas da fila.

Porém, como já era esperado, começou a se aglutinar gente la na frente, muito espertinho querendo furar fila, mas na frente dos 6 primeiros que estavam ali quem passasse morria (creia, isso não é modo de falar!). Das mulheres que apareciam lá pela frente querendo furar, apareceu uma senhora de idade falando "gente vamos organizar essa fila" num sei que mais, eu devolvi "não minha senhora, aqui a fila está bem organizada"! Só faltou falar vai pro teu lugar véa, mas enfim ela "ainda" era somente uma senhora idosa; outras senhoras idosas chegaram querendo arrumar a fila mandando as pessoas ficarem no lugar mas elas próprias não iam pros lugares delas no FINAL da fila, uma em especial tinha uma cara de pilantra desgraçada!

Abriram a porta lateral do Siará Hall pra acomodar melhor as pessoas que iriam comprar mesa e camarote, havia uma cabine com 5 guichês lá dentro e cadeiras pra aliviar a espera de quem não quis sentar no chão do lado de fora. Chegando lá dentro já tinham pessoas sentadas, as anteninhas de vinil detectaram a presença do inimigo! Falaram que não iam tomar nossa frente, mesmo assim alerta vermelho ligado, ainda bem que realmente não passaram. Lá dentro a primeira senhorinha que quis passar na frente começou a perguntar sobre atendimento prioritário, o que realmente aconteceu pra raiva profunda de muitos ali, inclusive da minha. Sei que é lei, sei que temos de respeitar os idosos, mas estávamos todos bem sentados, se a pessoa não podia esperar sentada na fila do ingresso ia poder ficar duas, três horas sentada no show? Enfim, eu já cumpro leis demais num país como o Brasil, me reservei ao direito de discordar e ser ativamente contra uma delas hoje, com todo respeito aos idosos (até porque um dia serei um).

No fim das contas deu tudo certo, até porque haviam 5 guichês, então a compra seria simultânea nos 5 (de início, não tinha atentado para esse fato). A preparação foi tanta que até o celular eu tirei do bolso habitual pra deixar somente o dinheiro em um bolso e ser mais ágil na hora de tirá-lo de lá. As três pessoas que estavam na minha frente, uma ia comprar três mesas e duas iam comprar duas, compraram no cartão. Comprar no cartão demora pra passar, demora pra senha, demora pra escolher a mesa, nesse meio tempo eu tive a graça de ser a PRIMEIRA PESSOA a comprar um ingresso pro show do Chico em Fortaleza, comprei a mesa que eu quis sem nenhum problema.

mapa do show com destaque pra minha mesa

fila nas cadeiras no interior do Siará Hall
Tudo certo, ingressos comprados para minha felicidade e a felicidade da Mirelle e de minha amiga Conceição e seu marido Ferreira, que irão compartilhar a mesa e o show conosco. Depois de tanta peleja e tanta história pra contar, até um reencontro rolou por lá: Sansão, um anão gente boa que trabalha na Arte Produções que havia liberado minha entrada no show do Pouca Vogal em dezembro de 2010, eu havia comprado uma caneca de vidro na Stereophonica antes do show e o segurança queria me barrar na fila (sufoco!) até que o grande Sansão deixou eu entrar!

a fila pro setor das cadeiras do lado de fora só crescia enquanto eu já ia pra casa

casal mais feliz que nós não há! (ps: não só pelos ingressos =)

Depois de conseguir comprar os ingressos percebi que a ficha ainda não caiu que eu vou pra um show do Chico Buarque, cada canção que ouço agora me causa um arrepio novo, uma sensação nova e única. Daqui pro dia do show vai ser um mês vivido a cada dia, e no dia do show então, não dá nem pra prever como vou me sentir, a ansiedade deverá ser maior do que a que senti no dia em que toquei com Carlos Maltz. Penso se assim como no dia do Maltz eu terei uma música ou um cd específico do Chico que ouvirei pra passar a ansiedade, mil coisas passando na cabeça porém uma certeza, pro dia ficar impecável, mais memorável ainda, o mais fodão de todos, só conseguindo uma foto com Chico. Sonhar e tentar não custa, então até o último momento tentarei!

O estado de graça após o dia de hoje e diante dos dias que virão é tão grande, que até arrisco nas previsões sem precisar da ajuda de "mãe Mirelle", por exemplo, minha expectativa de vida não é das melhores, do dia 25 de maio acho que não passo, acho que duro somente até a segunda música, quer ver como? Imagina só o Chico cantando:

"acenda o refletor, apure o tamborim, aqui é meu lugar, eu vim"

morri! (tem como não?)